Como conquistar o seu amor em Paris

Como conquistar o seu amor em Paris

Como conquistar o seu amor em Paris

Nas páginas a seguir os senhores encontrarão muito mais do que uma reportagem. Em suas mãos está o manual completo, infalível e definitivo para a conquista da pessoa amada. É um manifesto  por um mundo mais gentil, suave e cavalheiresco. Não se trata de uma mera  compilação de dicas para  um relacionamento de feriado prolongado com  uma criatura horizontalmente acessível qualquer. Estamos falando de coisa séria. Apresentamos aqui um passo a passo verdadeiramente capaz de  der-re-ter o coração daquela mulher especial, daquela será A única na sua vida. Não se trata de um libelo machista. Pelo contrário! Acreditamos na igualdade entre todos os gêneros, mas também que por mais cínicos e duros sejam os tempos modernos, ainda há espaço para a beleza e poesia de oferecer uma jóia como presente de amor, no gesto simples de abrir a porta do carro, e porque não? De nos deixar pagar a bendita da conta no restaurante. Prepare, portanto, o cartão de crédito e acompanhe nosso roteiro.

“Paris é uma viagem para se acelerar os processos”, brinca o bon-vivant Ricardo Rique, que á alguns anos abandonou a política e as empresas para se dedicar a curtir a vida. Semanas atrás, após uma conversa com a reportagem, ele resolveu convidar a namorada para fugir do carnaval do Rio e partir para desfrutar um roteiro parisiense. “Entreguei a ela um envelope com as duas passagens de primeira-classe. Você precisava ver, as pernas tremiam, os olhinhos reluziam”, conta. Uma passagem de primeira-classe para Paris custa hoje entre US$ 12 mil e US$ 16 mil. Recentemente a TAM começou a operar voos para a cidade-luz com sua nova configuração de primeira-classe. Ela conta com quatro assentos que ocupam uma área exclusiva na aeronave e garantem privacidade ao passageiro, uma vez que a mobília foi desenhada para isolar o espaço de cada um. As poltronas reclinam até 180º graus. Os cosméticos dos amenities são da marca Rituals, e o cliente pode escolher os produtos que queira usar durante a viagem e ainda os que desejar levar consigo. Dá até para tomar um bom banho revigorante antes do desembarque.

Como se sabe, Paris é um dos destinos mais visitados do mundo _ no ano passado, perdeu o topo do ranking para Londres. E como tal, é uma cidade que abusa do direito de oferecer as mais variadas opções de hospedagem. Alguns de seus hotéis são verdadeiros ícones mundiais, como o George V, o Le Royal Monceau, o Le Meurice, o Ritz ou o mitológico Plaza Athenée. Localizado no número 25 da Avenue Montaigne, perto do Champs-Élysées e da Torre Eiffel, foi endereço fixo de nomes como Rodolfo Valentino, Jackie Kennedy e a famosa espiã Mata Hari (que foi presa ali). O Plaza conta com uma sede do Instituto Dior, um bar maravilhoso e um restaurante de Alain Ducasse que também está sendo reformado. Inesquecível para os visitante é o aroma do hotel, criado a mais de 40 anos, e famoso entre todos os apaixonados pela cidade. Chamada Poussière d’Ambre, a badalada fragrância é uma das mais de 80 opções vendidas em lamparinas pela Lampe Berger com preços que vão de 37 até 1,2 mil euros.

Mas além desses medalhões, a cidade está sempre cheia de novidades. No ano passado, o site o Trip Advisor promoveu uma enquete para eleger o mais romântico dentre todos os hotéis e, para surpresa de muitos, o vencedor foi o até então pouco conhecido Hotel Design Secret de Paris. Ele fica localizado no centro da capital, no início da rua de Parme, 9º arrondissement de arquitetura haussmaniana. Está próximo a grandes atrações como o Museu Grevin, o animado bairro de Pigalle, a Igreja da Trindade, e tesouros pouco conhecidos que merecem uma visita, como o Musée de la Vie Romantique (Museu da Vida Romântica), e a praça Square d’Orléans. “É difícil fugir desses grandes nomes quando se fala de hotel em Paris, mas se a ideia for buscar uma hospedagem mais romântica, não tenho dúvidas que uma ótima opção é o pequeno Hôtel de l”Abbaye”, diz o restauranteur e empresário Rogerio Fasano. Bem no coração de Saint-Germain-des-Prés, no número 10 Rue Cassette, foi o endereço parisiense de um certo Marcelo Mastroiani. “É um hotel daqueles que você leva a chave se for sair e voltar tarde, uma delícia. As suítes do último andar são duplex e contam com um pequeno terraço onde você pode encomendar um café da manhã maravilhoso”, indica Fasano.

Devidamente hospedado, chegou a hora de começar a brincadeira para valer. E para início de conversa, nada mais romântico em Paris do que passear de mãos dadas pelas margens do Rio Sena. Nesse passeio, aproveite para “trancar” o seu amor, como fazem tantos franceses e turistas na Pont des Arts, monumento que cruza o rio, do Museu do Louvre até o Palácio das Artes. Não está claro quando ou como começou a tradição, que aparentemente veio da Itália, mas ganhou fama internacional após o romance “Ho Voglia di te” (Eu queria que você) do italiano Federico Moccia no qual os protagonistas colocavam um cadeado na Ponte Milvio, em Roma. Hoje, a qualquer hora é possível ver mãos ocupadas prendendo um pequeno cadeado com os nomes de seus donos escritos e depois jogando a as chaves no rio como promessa de amor eterno. O fenômeno cresceu de tal forma que hoje é um desafio encontrar pontos livres. Regularmente agentes da Prefeitura checam se há buracos ou elementos metálicos que possam representar algum tipo de perigo. Nesses casos, o painel danificado é substituído e fica livre para novos amores e cadeados.

Mas as opções de passeios para casais enamorados na cidade são infinitas. Mas é preciso saber o que fazer para não se ver parado em uma fila de duas horas debaixo da chuva para visitar a torre. É possível fechar lojas como a Hermés para um período de compras a dois ultra-exclusiva; passear de carruagem pelos Champs-Élysées, o Trocadéro e o Arco do Triunfo; fechar um pequeno terraço no Hotel Shangri-la e mandar enchê-lo de rosas vermelhas ou mesmo alugar o rooftop da Torre Eiffel para o jantar. Achando tudo muito complicado? O que não falta hoje no mercado são empresas que no melhor estilo do Sr Roarke (o famoso personagem de Ricardo Montalban na série “Ilha da Fantasia”), estão aí para transformar seu sonho mais transloucado em realidade. Um dos maiores clubes privados de serviços em todo o mundo hoje é o Quintessentially, fundado em Londres em 2000, que reúne mais de 1.500 concierges espalhados por escritórios em 60 cidades-chave do mundo. A empresa tem em Paris um dos seus cases de maior sucesso. Certa vez, fechou o Palácio de Versalhes para que um cliente ultra-especial pedisse a namorada em casamento durante um almoço no Salão dos Espelhos.

Se a ideia for ver, ser visto (e porque não, impressionar sua companheira), a dica é o Silencio, clube criado pelo cineasta David Lynch inspirado no Club Silencio, do filme “Cidade dos Homens”. Na última semana de moda, o local foi o endereço das ultra-exclusivas festas de grife como Proenza Schouler, Gareth Pugh, Balenciaga, Hermès e Chanel. O cultuado diretor desenhou a maior parte dos móveis, inspirados na década de 1950. As cadeiras foram criadas para “induzir e manter um estado específico de atenção e abertura para o desconhecido”, segundo Lynch. Silencio está localizado em um lendário endereço parisiense: rua Montmartre, 142. Dizem que Molière foi enterrado ali, e que Émile Zola teria imprimido o famoso artigo J’Accuse no porão da casa.

Agora, se a idéia não for dançar como se não houvesse amanhã mas, sim, aproveitar as delícias que fizeram a fama da gastronomia francesa, opções obviamente não faltam. Um programa matador é o espetacular Guy Savoy, três estrelas no Guia Michelin, e um dos seguidores do estilo “é um pouco mais caro, mas é muito melhor”. O restaurante oferece menus degustação na faixa dos 170 euros (com cinco pratos), mas dependendo dos vinhos e da empolgação com o cardápio é uma brincadeira que pode ultrapassar os 500 euros por cabeça. Outra opção matadora é o Jules Verne, localizado na Torre Eiffel, com sua vista de tirar o fôlego. Mas Paris e Paris e dezenas de restaurantes e bistrôs podem tornar seu almoço ou jantar algo mais que especial. “Não há nada mais cool do que ir ao Fontaine des Mars, na rue St Dominique e pedir uma mesa na calçada”, diz Charlô Whately, dono do Bistrô Charlô, uma das jóias da gastronomia de São Paulo, e um profundo conhecedor dos segredos da capital francesa. “Ao sentar, chame a proprietária, Christiane, e diga logo que são do Brasil. Em seguida, peça como entrada ‘alho poró ao vapor com molho de ervas’ seguido por um linguado com purê de batatas e espinafre. Para acompanhar, um Sancerre bem geladinho”, sugere.

Comentários

Deixe seu comentário

Related Posts

No Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published.