Como alugar fantasias para o carnaval de Veneza

Como alugar fantasias para o carnaval de Veneza

Como alugar fantasias para o carnaval de Veneza

Flavia Zorzo atravessa apressada a Piazza San Marco em meio aos incontáveis camelôs oferecendo paus de selfie, capas, chapéus e máscaras típicas para o famoso Carnaval da cidade que se aproxima naquela tarde chuvosa de fevereiro. “A diferença para o nosso trabalho e o deles? Cada uma de nossas peças é uma joia”, diz ela, devolvendo com uma piscada de olho a provocação do blogueiro. Aos 67 anos, jeitão de tia-avó gente boa, ela há 35 anos é um personagem fundamental nos bastidores dos bailes que ajudam a formar a imagem de Veneza no imaginário mundial. Flavia é a principal fornecedora de fantasias de luxo para aluguel nos hotéis cinco estrelas da cidade. Em 2016, ano de nossa conversa, ela abriu a banca no Baglioni Luna, oferecendo cerca de 300 diferentes opções para o gosto da clientela internacional. Mick Jagger é um freguês cativo. Ao longo da festa, pelo menos cerca de 200 desses modelos serão ajustados ao logo de todo dia em diferentes clientes antes dos bailes que tomarão conta dos melhores salões da cidade.

Os trajes representam fielmente cada período histórico que representam e são resultado de uma rigorosa pesquisa histórica. “Todas as nossas criações nascem no respeito e no rigor da tradição veneziana: a partir das máscaras completamente artesanais em papel machê, de acordo com a tradição ‘mascareri’, e os trajes sempre produzidos com tecidos especiais. Usamos os melhores veludos e sedas selecionados entre os melhores tecelões locais. Até os acessórios específicos que utilizamos são realmente muito importantes para quem quer desfrutar de um Carnaval no verdadeiro estilo veneziano”, diz ela. Uma fantasia leva cerca de um mês para ser feita, e o aluguel custa, dependendo dos materiais empregados, de 300 a 750 euros por noite. Quem quiser levar um traje para casa pode começar a pensar em uns 1,5 mil euros o mais baratinho. Se você preferir pensar um pouco, pode até se guardar pra quando o carnaval passar e visitar a Flavia no ateliê dela no Castelllo 6010 do Corte de la Spechiera, pertinho da casa do Marco Polo.

venice-grand-canal-1500-850__2_

Veneza é formada por diferentes cidades em ilhas que foram se conectando com o tempo

O carnaval de Veneza dura oficialmente 10 dias. Povão e turistas concentram-se na Piazza San Marco, que apesar da friaca tem uma vasta programação de eventos. Mas o quente mesmo são os bailes  realizados nas mansões do Gran Canale e nos hotéis de luxo da cidade. E, bem, já que você veio até aqui alugar fantasias, hospede-se de uma vez no Baglioni Luna, um palácio aristocrático construído originalmente para ser a sede da Ordem dos Cavaleiros do Templo na cidade, posteriormente adaptado como Hotel de la Luna para servir como estalagem de peregrinos a caminho da Terra Santa. A localização é estratégica, a poucos metros da Piazza, debruçado sobre a baía e a Ilha de San Giorgio, e a walking distance das atrações turísticas mais conhecidas. O arrasta-pé do hotel costuma ser sold out. Não deixe de tomar o café da manhã no terraço, que oferece vista deslumbrante para a cidade. O hotel conta ainda com suítes de até 260 m2, serviço impecável, e, para os foodies, a maravilha que é o Restaurante Canova, oferecendo excelentes degustações de pratos típicos venezianos.

architecture-pgc-exterior-16-9-ratio-webVista aérea do museu que funciona na casa de Peggy Guggenheim

Veneza, sempre é bom lembrar, não é necessariamente uma cidade para quem já não está acostumado à batida do mundo das viagens. Não é uma cidade que se “mate” em uma tarde, durante um city tour em um ônibus de dois andares. Pode reservar no mínimo três dias só para o roteiro básico, que inclui visitar  o Palácio Ducal, deixar o queixo cair com a delicadeza dos trabalhos do interior da Basílica de São Marcos e  dedicar horas a percorrer corredores de museus fabulosos como o Ca’Rezzonico, as galerias da Accademia e, nosso favorito, a casa que abriga a Coleção Peggy Guggenheim. Não existe visitar Veneza sem perder-se pelas ruas de Veneza. A cidade foi formada ao longo do tempo pela reunião de diversas outras pequenas cidades que se espalhavam pelas ilhotas da região. O resultado, é que a cada curva você vai descobrir uma nova pracinha. Que como toda pracinha medieval, tinha sua igreja, seu teatro. A primeira vez que você acerta um caminho por aqui é uma curtição só. Aproveite.

Comentários

Deixe seu comentário

Related Posts

No Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published.